Bem, a missão de Seiya como Sailor Star Fighter (e das StarLights em geral,)é muito diferente da das Outer ou das Inner. Como todos sabemos, no passado (na Lua), no Milénio de Prata, houve várias guerreiras que protegiam uma princesa, a Princess Serenity ou Princesa da Lua: eram as Inner Senshi (Mercury, Mars, Jupiter e Venus). Ao mesmo tempo, mais poderosas e com uma missão mais amplificada e difícil, existiam as Outer Senshi (Uranus, Neptune, Pluto e Saturn), que viviam nos respectivos planetas e tinham como objectivo defender o Sistema Solar de qualquer invasor que viesse de fora (daí serem munidas com poderes muito superiores aos das Inner).

Quando o Milénio de Prata é destruído por Queen Beryl (Rainha Beryl), Queen Serenity (Rainha Serenity) ressuscita todas as guerreiras, mandando-as para a Terra, onde nascerão de novo. Ao fazê-lo, morre. Pois bem, quando reencarnam na Terra, as Inner e as Outer (isto, em geral; notem que não estou a falar de objectivos específicos, senão nunca mais saía daqui) têm como missão derrotar todos os inimigos que ameaçam a Terra, sendo principalmente na fase Stars que este objectivo se torna comum a todas as Sailors, agora unidas. É neste cenário que aparecem as Sailor StarLights, vindas de outro Planeta. Há, no início, um período de hostilidade entre estas e as Inner e Outer Senshi, mas, como todos sabemos, no final todas se juntam com um objectivo comum: derrotar Galaxia. Bem, mas a início, as StarLights não estão muito interessadas em salvar a Terra seja do que for. A sua missão é muito diferente da das demais Sailors.

Vamos retroceder um pouco: não foi na Terra que Galaxia começou a atacar. Antes pelo contrário; antes de chegar ao Planeta Azul, ela já destruíra e roubara milhares de outros planetas. Um deles, Kinmokusei, era um pacífico e feliz planeta/reino governado pela benevolente Princesa Kakyuu. A radiante Princesa tinha três guardiãs (tal como Serenity tinha as Inner): Sailor Star Fighter, Healer e Maker, que a amavam e protegiam como ninguém. Neste planeta reinava a felicidade; tudo era perfeito, como podemos ver aqui. Mas a cruel Galaxia destruiu-o, e tudo ficou em destroços. Tudo? Não. A Princesa e as suas guerreiras haviam escapado ao terrível ataque. O problema é que não haviam escapado juntas -- Princesa e guardiãs tinham ficado separadas.

Mal notam a ausência de Kakyuu, as StarLights decidem procurá-la. Sabem que ela já não está em Kinmokusei, e podem sentir o seu brilho e poder vindos de um planeta azul chamado Terra. Então, é para aí que elas vão. Embora saibam que Kakyuu está na Terra, elas não sabem exactamente aonde; e, como devem imaginar, um planeta é um sítio demasiado grande para se procurar uma pessoa quando não se faz a mínima ideia de onde ela está. As StarLights tornam-se homens, assumem forma humana (okay, vamos esclarecer uma coisa. Em Kinmokusei elas tinham aparências e corações humanos, sim. O que quero dizer é que passam a vestir-se à civil, como humanos normais, percebem?), e formam um grupo musical chamado ThreeLights, que tem imediatamente um sucesso estrondoso entre os terráqueos. Mas não é para os fãs que eles cantam: as suas canções são mensagens. Sim, mensagens. Reparem nas letras, se têm dúvidas. Eles emitem sinais/mensagens em forma de canções, sabendo que a Princesa os compreenderá, se os ouvir (sim, estes sinais podem detectar-se de bastante longe -_-). Como estão a ver, a primeira e mais importante missão das StarLights na série é encontrar a sua princesa, Kakyuu.

Mas acontece um imprevisto: eles encontram o inimigo antes de encontrarem Kakyuu. E, claro, esse inimigo é Galaxia. Por isso, eles começam a transformar-se em Sailors (as suas formas originais) e a combatê-lo. Eles sabem que a Terra sofrerá o mesmo que Kinmokusei, seu planeta natal, havia sofrido; sabem que, provavelmente, desaparecerá. Isto não importa minimamente a Yaten ou Taiki, que se estão nas tintas para o Planeta Azul. Mas Seiya, mais emotivo, justo, e humano, preocupa-se, sim. Ele quer ajudar Sailor Moon, que começa a aparecer e a derrotar os inimigos (com a ajuda deles) quando as batalhas começam. Ele sabe que a missão das Inner e das Outer é proteger a Terra, e o facto de conhecer o provável futuro do planeta leva-o a tentar dividir o seu conhecimento dos factos com elas como uma forma de ajuda, coisa que os arrogantes e egoístas Yaten e Taiki não compreendem. Mas, como é óbvio, nem que seja só por vingança (como no caso de Yaten e Taiki), todas as três StarLights querem vencer a pessoa que destruiu o seu planeta: ou seja, Galaxia. E esta é sua segunda missão. No entanto, notem que elas não o fazem só para salvar a Terra, como as outras Sailors, mas principalmente para se vingarem e evitarem que a vilã continue a usar o seu imenso poder para destruir todos os planetas que encontra.

Se me perguntarem, sim, Seiya também o fez para salvar a Terra de um destino trágico. Claro que sim. Desde sempre, ele quis cooperar com Sailor Moon, ao contrário dos seus companheiros. Pneso que isto é muito importante, já que revela uma grande parte da faceta humana de Seiya.

Sailor Star Fighter é uma guerreira bastante forte. Para terem uma ideia, a lista de Sailors, segundo os seus poderes (das mais fracas para as mais fortes), é a seguinte: Inners, StarLights, Outers. Star Fighter é uma StarLight; logo, é mais forte do que qualquer Inner, o que já não é nada mau. Tem um uniforme muito original (dêem-me aquelas botas!!!), e os seus items são, basicamente, uma espécie de caixinha em forma de estrela, que lhe permite fazer o seu único ataque, Star Serious Laser (baseado no poder das estrelas), e, é claro, o famoso item de transformação (o que é uma Sailor sem um objectozinho desses?). Depois da tranformação, Star Fighter tem, tal como Seiya nos concertos, uma espécie de microfone preso na orelha esquerda (para o qual não descobri qualquer utilidade), como podem ver nesta foto. No anime, há duas versões da sua transformação: a curta e a longa. A longa revela pormenores, enquanto a curta é muito "geral". 

Muitas pessoas dizem que Seiya é, na verdade, uma rapariga. Uma rapariga que se veste como um rapaz. Bem, isso está muito errado. Ou melhor, no anime, está errado; no mangá está certíssimo. Mas este site é baseado na versão anime e a versão anime; por favor, não esqueçam isso. No mangá, Seiya/Star Fighter é SEMPRE uma rapariga, mesmo na Terra, mesmo antes de se transformar. Mas no anime, quando chega ao Planeta Azul, Star Fighter torna-se Seiya Kou, um rapaz. Sim, e ele é mesmo um rapaz, quando não está transformado. Claro que quando grita "Fighter Star Power, Make-Up!", torna-se numa mulher (a sua forma original). Em Kinmokusei, Seiya nunca aparece "destransformado", ou seja, está sempre em forma de Sailor, por isso não posso dizer nada sobre isso. Mas na Terra, quando não está transformado (a maior parte do tempo), Seiya É do sexo masculino, e o seu corpo tem tudo (sim, TUDO ¬¬) o que o de qualquer outro rapaz tem.

Basicamente, as StarLights chegam à Terra com o grande objectivo de encontrar Kakyuu, acabando por se deparar com um outro igualmente digno: derrotar as forças do mal que haviam provocado toda a tragédia por que estavam a passar.