Então, serão Usagi e Seiya um bom par...?

Oh, sim. São. Ela é a única pessoa que Seiya realmente ama. E eles são um par lindo. Oh, SIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIM!!!!!!!!!!!! Fico tão emocionada ao imaginá-los juntos, que nem sequer consigo pensar direito, por isso perdoem-me se disser coisas sem sentido.

Quando Seiya chega à Terra e se torna rapaz, um ídolo de adolescentes, o seu único objectivo é encontrar Kakyuu, a princesa é a sua única obsessão. Nenhuma das suas fãs lhe interessa romanticamente; toda a sua devoção se dirige a Kakyuu. MAS há um dia fatal em que um encontro não-programado dá origem a um dos mais bonitos casos de amor não-correspondido do mundo. É o dia em que Mamoru parte para os E.U.A., sim (e dá um anel de noivado a Usagi). Ele e Usagi estão no aeroporto, e notam um alvoroço enorme entre as restantes pessoas. Ouvem alguém dizer que os grandes ídolos, os "ThreeLights", estão ali mesmo, naquele aeroporto! Bem, o problema é que Usagi, que POR ACASO naqueles dias só conseguia pensar em Mamoru, nem sequer SABIA da existência dos ídolos mundiais. É por isso que, alguns momentos mais tarde, quando Seiya passa por eles e os seus olhares se cruzam, Usagi nem liga. Mas Seiya liga. Oh, sim. O seu olhar fica preso no de Usagi, ele perde-se nos seus grandes e profundos olhos azuis. Era o início de um grande e lindo sentimento, a que gostamos de chamar "amor". E pronto. Mamoru parte. Usagi fica sozinha, sem namorado ou filha (já que Chibi-usa partira para o futuro), e o facto de ser uma pessoa fortíssima não evita a tristeza que sente ou as lágrimas que deixa cair. Mas ela segue em frente, determinada a esperar por Mamoru.

O que ela não esperava é que as suas melhores amigas, Rei, Minako, Makoto e até Ami, estivessem completamente OBCECADAS pelos ThreeLights. E, é claro, um dia elas arrastam-na para umas gravações ao ar livre, onde Yaten e Taiki estão a posar para as câmaras, completamente rodeados por fãs histéricas. Usagi, ao fim de algum tempo, farta-se daquilo (porque não consegue "furar" a multidão para ver os dois Lights de perto) e abandona as amigas, partindo à descoberta das carrinhas das filmagens (só mesmo ela). Devagar, para não fazer barulho, avançou para as carrinhas, sem se aperceber que, mesmo ali ao lado, uma pessoa estava deitada num banco de jardim. Claro, a pessoa era Seiya. Vou aqui reproduzir o seu diálogo, já que foi o primeiro de muitos:

Seiya - Hey, sabias que esta zona é privada e que aqui não pode estar pessoal não autorizado?

Usagi - Desculpa, eu não queria, quer dizer, eu só queria... desculpa, peço muita desculpa!

Seiya (lembra-se de Usagi, do aeroporto) - Tu... és a mesma rapariga...

Usagi - Uh?

Seiya - Não te deves lembrar...

Usagi - Bem... eu vi-te nalgum lado?

Seiya - Tu não me reconheces...!?

(Usagi faz "não" com a cabeça)

Seiya - Estou a ver que não sou tão popular como pensava...

Usagi (irritada) - Ah, estou a ver! Isso é uma nova maneira de te aproximares de raparigas!

(Seiya baixa a cabeça, onde aparece uma gota)

Usagi (non-stop, orgulhosa) - Eu tenho um namorado que me prometeu ficar para sempre comigo!

Seiya (ri, salta do banco, dirige-se às carrinhas) - És tão engraçada...!

Usagi - O quê!? És antipático!!! E não podes ir para aí, não é admitido, a menos que sejam assuntos importantes, de negócios!

Seiya (de costas, levanta a mão a dizer adeus) - Não faz mal, porque eu estou aqui nummm assunto importante! Vemo-nos mais tarde, Odango!

Bem, esta foi a primeira vez que se falaram. Foi muito engraçado! XD Na verdade, Seiya gosta de irritar Usagi e Usagi deixa-se SEMPRE irritar, deleitando-o. A partir daqui, Seiya e Usagi começam a encontrar-se acidentalmente (e sempre que isso acontece, Seiya irrita Usagi), e vocês estão a ver, uma coisa leva a outra... tornam-se amigos. Eles são muito próximos, e Seiya é brincalhão, querido, emotivo e impulsivo (o oposto de Mamoru), permitindo a Usagi falar com ele sobre qualquer coisa, algo que tenho a certeza que não acontecia com Mamoru (com ele, Usagi corava SEMPRE e hesitava antes de falar sobre fosse o que fosse fora do normal, e isto quando CHEGAVA A CONSEGUIR FALAR. Além disso, a ideia de Usagi e Mamoru a divertirem-se é inimaginável, para mim).

Claro que, desde o primeiro momento, Seiya esteve apaixonado por Usagi. E claro que queria algo mais do que amizade. Mas ela nunca "percebeu" isso, e ele nunca a quis forçar. Muito cedo, ele soube (por ela) da existência de Mamoru, e, por mais que isso o magoasse, sempre respeitou os sentimentos dela pelo seu namorado. Seiya e Usagi DIVERTEM-SE, o que é MUITO IMPORTANTE para Usagi, que andava deprimida; Seiya fá-la sorrir e esquecer Mamoru. Sim, ESQUECER MAMORU. Todos os seus encontros e diálogos são engraçadíssimos e lindos, e não posso, como é óbvio, referi-los todos e muito menos descrevê-los. Recomendo a todos o episódio 181, Usagi to Seiya no Doki Doki Date, que é UM ESPECTÁCULO. MUUUUUITO divertido. É um dia em que Usagi e Seiya vão juntos a um parque de diversões... bem, adiante. Tudo corre lindamente até...

...até que se descobre que Usagi é Sailor Moon e que Seiya é Sailor Star Fighter. As Outer tentam impedir Usagi de ver Seiya, e Taiki e Yaten fazem o mesmo. Mas o amor deles é mais forte, e eles conseguem ver-se. Seiya chega a fazer uma ferida na cabeça, ao salvar Sailor Moon de ser atacada por Tin Nyanko. Entretanto, no meio de tudo isto, Seiya bate a Taiki por este o proibir de ver Usagi. Pronto, portanto, Seiya tem uma ferida na cabeça, e os ThreeLights suspendem os concertos por um tempo. No entanto, quando se pensa que Seiya já está bem (ele já nem tem a ligadura), começa-se a ensaiar para um novo concerto. Secretamente, mentindo a Yaten e a Taiki, Seiya telefona a Usagi e pede-lhe que vá ao concerto. Usagi vai, contra a vontade das Outer, mas chega tarde demais e já não há bilhetes. Como o concerto é num parque de diversões, ela entra na roda gigante e vê o concerto de lá de cima, muito contente e emocionada. Seiya, embora ela estivesse muito longe, viu-a. E ficou muito, muito feliz. E é nesta altura que ele, telepaticamente e por meio da canção que cantava, mostra a Usagi quem é, de onde vem e o que procura. Isto era tudo um segredo, mas ele contou a Usagi, porque a amava. Neste concerto, foi para ela que ele cantou, e não para Kakyuu. Porém, a meio, o esforço mental de Seiya, que ainda não estava totalmente recuperado do acidente, leva-o a sentir-se mal e a desmaiar. Os outros dois ThreeLights levam-no para um canto e chamam uma ambulância. Mas quando esta chega, ele já lá não está... foi ver Usagi. Acordou a pensar em Usagi. Levantou-se e caminhou, fazendo um esforço terrível, para encontrar Usagi. Não me digam que isto não é amor... bem, claro que isto provoca ainda mais antipatia entre as outras Sailors, principalmente as Outer, e Yaten e Taiki. Mas o amor de Seiya por Usagi evitou que isso acontecesse entre eles os dois: a sua relação continuou forte.

Depois Kakyuu aparece, e pede às StarLights para cooperarem com Sailor Moon, porque ela pode destruir Galaxia, etc, etc, etc. E pronto, chega o fatídico dia do último concerto (sim, porque foi esse concerto que foi interrompido por Tin Nyanko, e a partir daí começa a batalha final. Como no fim dessa batalha os ThreeLights regressam a Kinmokusei, é claro que não há mais concertos). Seiya vê Usagi antes do concerto, e Kakyuu decide deixá-los sozinhos. Seiya aproxima-se do seu amor e dá-lhe um beijo na face, que provocou lágrimas nos lindos olhos de Usagi. Este beijo foi simbólico, independentemente do sítio onde foi dado. Representou o "explodir", a "exposição" dos sentimentos de Seiya por Usagi. Foi... lindo. Mais bonito do que TODOS os beijos de Usagi e Mamoru juntos. Muito mais bonito. A batalha final acontece, e as únicas Sailors que não morrem são as StarLights, Chibi Chibi Moon, e, é claro, Sailor Moon. A batalha, para variar, acaba bem.

E há a despedida... no cimo de um edifício. De um lado, as Inner e Mamoru. Do outro, as StarLights e Kakyuu. E há um último diálogo que também reproduzirei:

Seiya (corando) - Odango... nunca te esquecerei.

Usagi - Eu também não; espero que possamos sempre ser amigos!

(Seiya põe a mão na testa, todos os outros riem)

Yaten (para Seiya) - Estás mesmo apanhadinho por ela, eh?

Usagi - Porque se estão a rir...?

Rei - Oh, Usagi, não percebeste mesmo?

Usagi - Se tivesse percebido não perguntava!

Rei - Não te digo!

(...)

Kakyuu - Bem, é hora de irmos...

Minako - Voltaremos a ver-nos, certo?

Usagi - Ficaremos à vossa espera!

Kakyuu - Certo... talvez, um dia...

Seiya (para Mamoru, referindo-se a Usagi; sério) - Cuida bem dela... hehe, já alguém me ddisse isto antes [Haruka dissera].

Mamoru - Eu compreendo.

Todos - Adeus!

(As StarLights e Kakyuu transformam-se - Kakyuu não - e partem para Kinmokusei)

Usagi olha o céu dourado para onde as StarLights haviam partido. "Arigatou, Seiya" (Obrigada, Seiya), pensa, com um sorriso doce no seu lindo rosto. Será que isto não significa nada...?

E é o fim. A série acaba com um beijo entre Usagi e Mamoru, claro. Mas Seiya continua a amar Usagi, e no fundo do coração desta haverá sempre um lugar para o simpático rapaz que tanto a tocou, amou, respeitou e protegeu.

Agora, se me perguntarem, claro que não, Seiya e Usagi nunca andaram juntos. Usagi NUNCA chegou sequer a perceber os sentimentos de Seiya para com ela, tal era a sua obsessão por Mamoru. Sim, esta é a minha opinião: Usagi está numa situação injusta. Como o passado e o destino dizem que ela deve ficar com Mamoru, ela acaba por assimilar isso de tal forma que aquilo se torna automático - ela ama Mamoru, ponto final. É uma obsessão, e não amor verdadeiro. E se calhar há muita gente que a faria mais feliz do que ele e de quem ela até gostaria mais, se abrisse os olhos... sim, refiro-me a Seiya. Seiya não é como Mamoru, sério e inexpressivo, Seiya é divertido, apaixonado, impulsivo, EMOTIVO. Seiya consegue fazer Usagi passar um bom bocado, tocar o seu coração. Se Usagi sentiu alguma coisa por Seiya? Sim. Sem dúvida. Algo que, como ela própria dizia, "não compreendia". Eu acho que era amor, sim, que ela não notava sequer por estar noutra onda - a de Mamoru. Ela amou-o, sem dúvida, como amigo ou amante, não interessa. Eu defendo que ela o amou realmente, mas nunca se apercebeu disso (e isto é possível, sim, tão possível que acontece na vida real).

Seiya e Usagi deviam ser, na minha opinião, o par principal de Sailor Moon. Apoio-o incondicionalmente, admiro-o. Sailor Moon (a série) perderia muito sem ele. A única música que este par tem é um dueto chamado I Miss You, cantado no Musical Seramyu 5. É muito giro, e deviam ler a letra: percebe-se perfeitamente que eles estão a cantar a mesma coisa, claro, mas Usagi canta para Mamoru, enquanto Seiya dedica a canção à própria Usagi, sem que ela se aperceba sequer. E não só: este dueto é extremamente bonito. Ouçam-no, vale a pena, é o meu dueto preferido de Sailor Moon. Ah, mas já que falamos de música, ouçam também Todokanu Omoi, uma música dos ThreeLights (a minha preferida) que POR ACASO fala do amor de Seiya por Usagi. É lindíssima, e a letra é encantadoramente bonita.

Pensem nos choques frontais, nas discussões, nos gritos, nas gargalhadas, nos sorrisos, nas vozes, na rosa na mesa de Usagi, nas mãos de Seiya nos ombros dela, à chuva, no beijo, nas lágrimas... não há nada mais bonito do que estes dois juntos. E não importa o que me digam, a minha opinião nunca vai mudar. Detesto Mamoru. Sim, de TODA A SANTA PERSONAGEM QUE EXISTE EM SAILOR MOON, é dele que gosto menos. Não o suporto. Todos os vilões são melhores do que ele. É um idiota. Simplesmente, DETESTO-O. A ele e à estúpida da filha, Chibi-usa, que é *só* a criatura mais irritante e inútil do mundo de anime. Esta é a minha opinião, digam o que disserem. E não vale a pena mandar emails a dizer que sou estúpida ou que estou errada. Tudo o que disse nesta secção (menos a minha opinião, é óbvio) está provado pelos episódios, por Naoko Takeuchi, e pela mente inteligente de quem a tiver. Ponto final.